Foi presidente nacional do PSDB e três vezes senador

PERFIL

Teotônio Vilela Filho, GOVERNADOR REELEITO DE ALAGOAS, O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2010 | 00h00

Com 59 anos, natural de Viçosa, a 100 quilômetros de Maceió, Vilela é economista de formação, foi presidente nacional do PSDB e exerceu três mandatos de senador, antes de se eleger governador pela primeira vez em 2006. Seu vice-governador será o ex-deputado José Thomaz Nonô (DEM).

Vilela conseguiu uma reeleição improvável porque, além de seu governo ter deixado a desejar em vários pontos, ele enfrentou o rolo compressor de apoios ao seu adversário, Ronaldo Lessa (PDT). Em nível nacional, Lessa teve apoio ostensivo de Lula e Dilma e no Estado, foi apoiado pelos principais caciques, o ex-presidente Fernando Collor (PTB) e o senador Renan Calheiros (PMDB).

No entanto, de olho no eleitorado de Lula e Dilma, o governador nunca se afastou do Planalto. Durante a campanha, ele usou o twitter para elogiar a parceria que estabeleceu nos quase quatro anos de mandato com Lula. Em outro comentário, declarou-se amigo de Lula: "A minha amizade com o presidente Lula vem da época que nós fomos constituintes. Ele sabe que eu sou sério, que agora as coisas acontecem".

Vilela entrou na política muito jovem, incentivado pelo pai, o ex-senador Teotônio, que teve papel relevante na história recente do Brasil, com destacada atuação no combate à ditadura militar e na redemocratização do País.

Com o pai, percorreu o País na campanha pela anistia e em defesa dos presos políticos, tomando gosto em definitivo pela atividade. Mas Vilela só teve seu primeiro mandato em 1986, dois anos após a morte do pai, quando se elegeu o senador mais jovem do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.