Foragida há 18 anos é presa em Bonsucesso (RJ)

A quatro meses da prescrição do crime, a polícia prendeu Laura Fernandes Amorim, de 55 anos, condenada a 18 anos de prisão por ter esquartejado vivo seu marido, o médico Jorge Amorim. Laura estava foragida desde a condenação e foi presa na casa da irmã, em Bonsucesso, após um telefonema ao Disque Denúncia.O assassinato ocorreu em agosto de 1986, no apartamento do casal, na Avenida Paulo de Frontin, no Rio Comprido, zona norte da cidade. De acordo com a acusação, Laura dopou o marido, um rapaz de 27 anos, colocou-o na banheira, abriu o chuveiro e o esquartejou. O crime foi descoberto quando o corpo de Amorim entrou em decomposição e vizinhos reclamaram do mau cheiro. A polícia chegou a encontrar pedaços do corpo em sacos plásticos na varanda do apartamento.Laura fugiu. Um mês depois, apresentou-se à polícia e prestou um depoimento marcado por contradições. Apesar das evidências contra ela, negou o crime. Logo depois, fugiu novamente e foi condenada à revelia a 18 anos de prisão pelo 1º Tribunal do Júri. A polícia tem informações de que ela passou a usar nome falso e morou em outros Estados, entre eles Minas Gerais.Na tarde de segunda-feira, policiais da Delegacia de Roubos e Furtos estiveram na casa da irmã de Laura, em Bonsucesso, onde, segundo a denúncia, ela estaria escondida. Quando os policiais chegaram, ela tentou fugir. Chegou a pular o muro, mas foi presa em seguida, num matagal.A mulher, que estava sem carteira de identidade, apresentou-se como Vanete Fernandes Ferreira, sua irmã. No Instituto Félix Pacheco, os policiais descobriram a verdadeira identidade ao confrontar as impressões digitais. Laura foi encaminhada à carceragem da Polícia Interestadual (Polinter), de onde seguirá para um presídio feminino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.