Foragido mata crianças e diz que devia um corpo ao diabo

O foragido do sistema penitenciário do RioGrande do Sul Márcio Cardoso, de 18 anos, queimou uma casa e matou quatro crianças que estavam dentro dela ao amanhecerdesta quarta-feira, em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre. Ele foi preso pouco depois e surpreendeu os policiais ao dizer que estava pagando a promessa de oferecer um corpo ao diabo, feita no dia em que fugiu Instituto Penal de Mariante, há dois meses, para não ser interceptado por policiais quando estivesse em liberdade. Também alegou que estava cobrando R$ 200 do pai das crianças, o pedreiro Celso da Silva, de 43 anos, que estaria se negando a pagar a dívida. Silva informou à polícia que não tinha a dívida citada pelo agressor.Encaminhado ao Presídio Central de Porto Alegre logo depois de ser interrogado pelo delegado Leonel Carivalli, o autor confesso do incêndio será processado por quatro homicídios e uma tentativa de homicídio. As condenações para estes crimes podem variar de 12 anos a 30 anos de reclusão, informa Carivalli.Silva morava com os filhos Roselaine, de 12 anos, Cleiton, de dez anos, Clenilton, de nove anos, e Emanuele, de seis anos. A mãe das crianças tem problemas de saúde e vive em São Leopoldo, onde recebe assistência de familiares. Em seu depoimento, o pedreiro contou que, assim como os filhos, foi amarrado e amordaçado por Cardoso. Mas conseguiu se desvencilhar e saiu da casa quando percebeu o incêndio.Como não conseguiu apagar o fogo, passou a tentar salvar as crianças derrubando as janelas, que, por terem grades, resistiram. ?Ele tem marcas de queimaduras pelo corpo?, relata o delegado. Transtornado, o pedreiro passou o dia envolvido com o depoimento e à noite ficou sob os cuidados da assistência social da prefeitura de Canoas. Os corpos das crianças ficaram no Instituto Médico Legal para perícia e podem ser liberados para o enterro nesta quinta-feira.

Agencia Estado,

05 de maio de 2004 | 19h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.