Força Nacional começa a atuar no Entorno do DF em 10 dias

Autoridades já planejaram estratégias que vão ser utilizadas em cidades com altos índices de criminalidade

Agência Brasil,

03 Outubro 2007 | 18h33

As ações da Força Nacional de Segurança nas cidades do Entorno do Distrito Federal devem começar em dez dias. Este foi o prazo estipulado pelas autoridades de segurança de Goiás e do Distrito Federal em reunião nesta terça-feira, 2.   Foi definido ainda que o tenente-coronel Wellington Rodrigues, da Polícia Militar de Goiás, será o comandante da Força Nacional durante o planejamento das ações policiais.   O tenente-coronel Wellington Rodrigues informou que já foi realizado um levantamento sobre o Entorno que servirá de base para a formulação de estratégias policiais.   "O serviço de inteligência da PM já fez um levantamento da situação do Entorno e dos pontos principais que devemos atuar. Com base nesse estudo, durante dez dias vamos montar estratégias de ação", explicou.   Estratégias planejadas   O militar adiantou que as forças policiais já têm algumas estratégias planejadas, prioritariamente, mas as informações não podem ser divulgadas com antecipação por motivos de segurança. Após o período de planejamento operacional será definida a data de entrada dos homens da Força Nacional nas cidades goianas do Entorno do Distrito Federal e de Goiás com altos índices de criminalidade.   O Ministério da Justiça informou que serão colocados à disposição, progressivamente, 500 homens para esta ação emergencial e temporária. Já estão alojados em Brasília 130 homens da Força Nacional, preparados para agir. A operação dará prioridade aos municípios de Luziânia, Cidade Ocidental, Valparaíso, Novo Gama, Águas Lindas, Formosa e Planaltina de Goiás.   Os custos com os policiais goianos serão arcados pelo estado de Goiás, enquanto os gastos com a Força Nacional serão divididos entre o Governo Federal, que arcará com as diárias, e o governo do Distrito Federal, que ficará responsável pelo apoio logístico, alimentação e transporte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.