Força Nacional continua no Espírito Santo, diz Bastos

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, garantiu nesta segunda-feira, 19, em Santos, onde inaugurou a nova sede da Polícia Federal, que os 70 policiais da Força Nacional de Segurança permanecerão no Estado do Espírito Santo até que a situação carcerária volte à normalidade. "O governador conversou comigo e nós mandamos a Força Nacional, que vai ficar lá, vai ajudar as polícias do Estado até que aquilo seja debelado".Bastos revelou que está acompanhado de perto o problema penitenciário do Espírito Santo. "Tenho conversado muito com o governador, que é nosso parceiro, que trabalha em conjunto e em colaboração como governo de Federal, de modo que mandamos os policiais quando sentimos que era preciso o reforço de uma tropa de elite, preparada para lidar com essas coisas ao lado das polícias do estado".O ministro lembrou que na sexta-feira será inaugurado o primeiro presídio federal, "que será o ponto inicial de uma revolução no sistema penitenciário brasileiro". O ministro informou que ele fica no interior do Paraná, "um presídio de segurança máxima, com vagas qualitativas, onde a gente pode isolar pessoas que estão criando distúrbio em qualquer estado".Em relação às rebeliões registradas nos últimos dias no Estado de São Paulo, Márcio Thomaz Bastos comentou que "é uma situação que precisa ser olhada com muito cuidado". Revelou ter "muita confiança nas forças de São Paulo", destacou que "o governador Cláudio Lembo está muito empenhado nisso" e concluiu: "mas é uma situação que tem de ser acompanhada todo dia. As forças policiais de São Paulo são muito competentes, muito preparadas e nós estamos dando todo o apoio que podemos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.