Força Nacional contra crime depende da experiência do Rio, diz ministro

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, afirmou que a criação de uma Força Nacional para o combate ao crime organizado vai depender do sucesso do grupo de elite já instalado no Rio de Janeiro. O grupo é composto por cerca 50 homens, policiais militares, civis e federais, e está atuando na sede da Polícia Federal (PF) no Rio de Janeiro. "Primeiro vamos ver se o grupo de elite vai funcionar. Se esta experiência der certo, o que eu acredito vai dar, vamos ampliar isso e criar uma Força Nacional", afirmou o ministro antes de participar sobre painel de segurança pública no XV Fórum Nacional, que se realiza na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Segundo o ministro os recursos para financiamento da Força Nacional vão ser buscados também na iniciativa privada. Pelos cálculos do secretário Nacional de Segurança Pública, Luiz Eduardo Soares, serão necessários R$ 172 milhões para a compra de equipamentos, pagamentos de salários de 600 policiais federais civis e militares de elite, nos próximos três anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.