Força Nacional de Segurança chega ao Rio no domingo

O secretário estadual de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, disse neste sábado que as tropas da Força Nacional de Segurança vão começar a chegar no domingo à noite no Rio de Janeiro, mas não entrarão em operação imediatamente. Isso será definido até terça-feira. Beltrame afirmou que a acomodação dos cerca de 400 soldados que virão ao Rio "dependerá da logística, mas possivelmente ficarão no Centro de Formação e Aperfeiçoamento da Polícia Militar (Cefap)"."Eles farão a segurança nas fronteiras e divisas do Estado dentro da Operação Divisa Segura", afirmou, durante o enterro do comandante do 13.º Batalhão da Polícia Militar (Praça Tiradentes), tenente-coronel Alexandre Siqueira de Andrade, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap (zona oeste).O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, pediu auxílio da Força Nacional assim que assumiu o governo, no início de janeiro. Quatro dias antes de sua posse, traficantes de drogas realizaram uma série de ataques na cidade, que culminaram com a morte de 19 pessoas - sete delas carbonizadas depois que criminosos incendiaram um ônibus interestadual sem dar tempo para a fuga dos passageiros.AmeaçaBeltrame disse que reforçou a segurança "em condição permanente, por 24 horas", do novo secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes. O serviço de inteligência da Secretaria de Segurança do Rio descobriu um plano para matar Côrtes na quinta-feira à noite e agiu imediatamente. "Continuamos trabalhando com muita disposição, no sentido de obter dados concretos a respeito das informações que já temos", disse. As informações sobre o plano foram feitas com a ajuda de escutas telefônicas. Segundo a secretaria de segurança, o atentado foi planejado por pessoas insatisfeitas com as mudanças que Côrtes efetuou após assumir a pasta da Saúde. Inicialmente, os criminosos planejavam matar o secretário na última terça-feira. Naquele dia, porém, Côrtes visitava o Instituto Médico Legal (IML) acompanhado de Beltrame e do novo comandante da Polícia Militar, coronel Ubiratan Ângelo, com forte esquema de segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.