Força Nacional de Segurança Pública vai deixar o MS

A Força Nacional de Segurança Pública, já pode deixar o Mato Grosso do Sul, segundo observou o novo comandante da Polícia Militar, Ademar Brites Cardoso. Ele comentou que a PM "vive um momento atípico", já que parte do efetivo tem de garantir a segurança nos presídios e há ainda a presença da Força de Segurança Nacional. Cardoso, que tomou posse no início deste mês, lembrou que, desde o dia 13 de maio deste ano, a situação está sob controle nos estabelecimentos penais do Mato Grosso do Sul.São 200 homens que chegaram no começo de junho em Campo Grande, de onde passaram a atuar em barreiras policiais e vistorias nos presídios do Estado. Desde a chegada da tropa, ocorrida 17 dias depois das rebeliões de detentos que destruíram mais da metade das instalações das penitenciárias de Campo Grande, Dourados e Três Lagoas, não ocorreram desordens do gênero e as ameaças foram imediatamente controladas.Um grupo de 80 militares da Força Policial, dos 200 enviados para o MS, foi transferido para o Espírito Santo, dia 19 último, com a missão de auxiliar as autoridades daquele Estado, no combate ao crime organizado e os restantes 120 soldados, poderão voltar para Brasília, antes do período de permanência fixado em convênio entre o Governo do Estado e o Ministério da Justiça. Para o coronel Brites, não há necessidade de cumprir todo o período estipulado, levando em conta que a presença do grupo se faz necessária enquanto duram as obras de reformas nos presídios depredados, que devem terminar este mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.