Força Nacional deve começar a atuar no Rio na quinta-feira

Os cerca de 500 homens mobilizados pela Força Nacional de Segurança para atuarem na área de segurança nas divisas do estado do Rio de Janeiro devem iniciar as operações a partir da próxima quinta-feira, segundo o secretário de Segurança Pública do Estado, José Mariano Beltrame, que participou de solenidade no Palácio da Guanabara, sede do governo, na manhã desta segunda-feira.O ministro da Justiça Marcio Thomaz Bastos participou da reunião do Comitê de Gestão Integrada de Segurança, que reuniu representantes das Forças Armadas, Polícia Civil e Militar. Bastos afirmou estar "animado" e "otimista" com o início da atuação da Força Nacional no Estado. "A ferramenta de gestão integrada pelo sistema de segurança pública com certeza vai gerar força ao governo para o combate à violência", disse o ministro. O secretário de Segurança do Estado afirmou que a idéia é que o efetivo proveniente das polícias militares de todo o País aumentem sua atuação gradativamente nos próximos meses até o início dos Jogos Pan-Americanos, em julho. A informação, entretanto, não foi confirmada pelo subsecretário Operacional de Segurança Pública do Estado, Roberto Sá, responsável pela operação. "O início da atuação desses efetivos e a sua duração são estratégicos e estão sendo estudados internamente pelos membros do Comitê de Gestão Integrada de Segurança no Estado do Rio", disse.Segundo ele, a única informação que está confirmada é que a Força Nacional permanecerá nas divisas até o final dos Jogos do Pan, mas o número de pontos para os quais os efetivos serão deslocados ainda está sendo estudado. Sá complementou que a idéia não é que a Força Nacional "atue em favelas, mas sim na área de logística, treinamento e inteligência". O subsecretário também afirmou que a idéia inicial de deslocar as Forças Armadas para combater a violência no Estado, "não está fora dos planos", mas exigiria alterações na legislação.Ajuda federalO ministro Márcio Thomaz Bastos entregou seis viaturas de transporte de presos ao governo estadual. O ministro citou a entrega dos automóveis e a transferência de 12 presos do Estado do Rio para São Paulo na semana passada como bons exemplos da integração que já está em vigor.Segundo o ministro, o governo estadual também receberá para auxílio no combate ao crime a verba destinada aos Jogos Pan-Americanas. "O dinheiro do Pan está chegando e não vai ser um dinheiro que vai embora depois dos Jogos, mas vai ficar arraigado no Rio sob a forma de inteligência em novos equipamentos de informática", disse o ministro, lembrando em entrevista coletiva que as ações em prol da segurança no Rio não se "esgotarão em medida única, mas somente funcionarão com esforços em conjunto"."A segurança se faz unindo corregedoria, inteligência e integração", disse Thomaz Bastos. O governador do Estado do Rio, Sérgio Cabral Filho, afirmou que participa na terça-feira da primeira reunião com os membros da Força Nacional que estão alojados no Centro de Formação e Aperfeiçoamento dos Praças (Cefap). Ele lembrou ainda que o Comitê de Gestão Integrada se reunirá todas as segundas-feiras para detalhar a estratégia de combate à violência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.