Força Nacional deverá atuar na fronteira do Rio, diz Cabral

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PSDB) disse que a primeira missão da Força Nacional no Rio de Janeiro será o reforço do patrulhamento nas fronteiras do Estado com os vizinhos do Sudeste. A definição ocorreu na reunião convocada pelo governador no Palácio Guanabara, na tarde desta quarta-feira, que contou com a presença dos secretários nacional e estadual de segurança pública, representantes das três Forças Armadas, da Justiça, da Polícia Federal e da guarda municipal.A atuação da Força ocorrerá até mesmo nas rodovias federais que cortam a região metropolitana do Rio, em parceria com a Polícia Rodoviária federal e estadual. Segundo Cabral, o objetivo é reprimir a entrada de armas e drogas na região e também a circulação de criminosos.Antecipar calendárioA chegada da Força Nacional, segundo Cabral, depende apenas agora da logística de deslocamento da tropa. Alegando motivos estratégicos, ele não quis adiantar o número de agentes convocados.O governador do Rio disse ter ouvido dos comandantes a disposição de colaborar com a segurança no Rio, mas ressaltou que o início do trabalho dependerá do presidente Lula. Cabral anunciou que policiais fluminenses serão treinados nas dependências das Forças Armadas. A intenção é antecipar o calendário previsto para os Jogos Pan-Americanos - que previa a Força no Rio a partir de maio para treinamento para os jogos que acontecem em julho - e aumentar gradativamente a presença da Força Nacional no Rio."Não podemos tratar de vidas humanas de maneira pirotécnica", disse Cabral, comemorando o espírito de cooperação entre as autoridades, dificultado durante os governos de Rosinha e Anthony Garotinho. "Acabou a época do fazer sozinho. Acabou a época de disputar espaço na área de segurança", afirmou. Para o governador, no momento em que as instituições se mostram coesas e organizadas, "nós venceremos".Patrulhamento militarO governador também informou que pedirá formalmente ainda nesta quarta-feira ao presidente Lula que militares façam o patrulhamento nas áreas em torno das unidades militares, como quartéis, armazéns, distrito naval, base aérea. A reunião durou uma hora e meia. No final, o governador convocou a imprensa e falou na condição de porta-voz do grupo. Cabral informou que se reunirá no próximo dia 9 com os governadores Aécio Neves (MG), Paulo Hartung (ES) e José Serra (SP), juntamente com os secretários estaduais de segurança de cada Estado, para a criação do gabinete de gestão integrada do Sudeste. No dia 15, ele receberá na capital fluminense o ministro da Justiça, Márcio Thomas Bastos, para a implementação do gabinete de gestão integrada do Rio, que terá reuniões semanais, sempre às segundas-feiras, com a participação das autoridades estaduais e federais que atuam no Estado.

Agencia Estado,

03 de janeiro de 2007 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.