Força Nacional em GO terá inicialmente 150 homens

A quantidade oficial de homens será definida em uma reunião na quinta-feira

25 Setembro 2007 | 17h36

O Ministério da Justiça confirmou nesta terça-feira, 25, que recebeu, do governo do Estado de Goiás, o pedido de envio de tropas da Força Nacional de Segurança Pública para a região do entorno do Distrito Federal. A primeira equipe que vai compor a tropa saiu do Rio de Janeiro na segunda-feira e já está no DF. Uma segunda equipe partiu para a região Centro-Oeste nesta terça-feira pela manhã. Esses dois primeiros grupos são chamados de "equipe precursora". Formada por homens da Inteligência, é responsável em fazer um primeiro mapeamento da região e identificar os problemas.   Ainda de acordo com a assessoria do ministério, a tropa da Força Nacional que vai atuar na região será composta inicialmente por 150 homens. A quantidade oficial de homens será definida em uma reunião na quinta-feira entre os representantes de Goiás, Distrito Federal e o Ministério da Justiça.   O tema da repressão à violência na região ganhou maior repercussão após a tentativa de homicídio, na quarta-feira, contra o jornalista Amaury Ribeiro Júnior, do jornal Correio Braziliense. Ele foi baleado no município de Cidade Ocidental (GO), enquanto fazia uma série de reportagens sobre o tráfico de drogas e a violência no local.   A região chamada de entorno do Distrito Federal é formada por 31 municípios: 19 municípios goianos, 10 distritais e três mineiros. Muitos dos 31 municípios do entorno do Distrito Federal foram criados e cresceram desordenadamente ao redor da capital federal.   Alguns municípios do entorno, como Luziânia (GO) e Cristalina (GO) estão entre os municípios mais violentos do Brasil, segundo dados da violência do Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros, lançado neste ano pela Organização dos Estados Ibero-Americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI).   O estado de Goiás anunciou o pedido na sexta-feira, após resolver impasse financeiro com o governo do Distrito Federal. O governo distrital se comprometeu a pagar todos os custos da contrapartida para formalizar o pedido de ajuda da Força. O estado goiano afirmava que não tinha recursos para arcar com as despesas de infra-estrutura da tropa - como, alimentação, hospedagem e transporte -, que é a contrapartida necessária dos estados para receber a ajuda federal.   (Com informações da Agência Brasil)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.