Força Nacional poderá combater em favelas do Rio

Policiais da Força Nacional de Segurança (FNS) estarão aptos a entrar em favelas do Rio dominadas por traficantes de drogas na sexta-feira, assim que acabarem a primeira etapa do treinamento que vêm fazendo na favela Tavares Bastos, uma comunidade pacificada que fica atrás do quartel do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Laranjeiras. Na segunda fase, a simulação de operações será feita em locais onde haja possibilidade real de confronto, mas a Secretaria de Segurança não revelou onde. Daqui a três semanas os 128 policiais treinados devem começar a participar de cercos e incursões reais nas favelas da região metropolitana do Rio, informou a Secretaria Estadual de Segurança. Outros 220 homens continuarão a trabalhar nas divisas do Estado, impedindo a entrada de drogas e armas. Desde segunda-feira, 32 policiais por dia participam de uma simulação intitulada "Progressão em áreas de favelas" que irá até quinta-feira. O Estágio de Ações Táticas é comandado pelo major do Bope Ricardo Soares, que negou rumores de que parte do programa tenha sido cancelada por falta de recursos para alimentação da tropa. Ele ressaltou que não há problemas de logística. "Faltam apenas alguns ajustes administrativos, como a definição de datas e locais de atuação", afirmou. A Secretaria Nacional de Segurança Pública informou que cada policial recebe R$ 120 por dia para alimentação e hospedagem. O Estado está fornecendo alojamento no quartel central da Polícia Militar, no centro do Rio, e alimentação no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap), em Sulacap, na zona oeste, onde também acontecem aulas de tiro, técnicas de abordagem e educação física.

Agencia Estado,

06 Fevereiro 2006 | 21h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.