Força Nacional reforça segurança nas estradas do Rio

A Força Nacional de Segurança (FNS) prepara-se para intensificar o patrulhamento nas principais vias de acesso ao Rio, para evitar assaltos contra os viajantes que retornarem à cidade, depois do feriadão de carnaval. Cento e cinqüenta homens da FNS, com apoio de policiais locais e rodoviários, foram destacados para vigiar as linhas Vermelha e Amarela, a Avenida Perimetral (que liga o centro à Avenida Brasil) e as rodovias Rio-Santos e Niterói-Manilha, a partir das 20h desta terça-feira, 20. A medida será adotada até as 6 horas da manhã de quinta-feira. "O objetivo do planejamento é que os cariocas cheguem bem em casa depois do feriadão", declarou o comandante da FNS, coronel Aurélio Ferreira. "Depois disso, faremos outras ações que não posso divulgar, senão daremos armas para os inimigos." O oficial explicou como funcionaria o patrulhamento nas vias de acesso ao Rio. "A mobilização dos policiais vai depender do fluxo do trânsito. Onde houver mais carros circulando, haverá mais policiamento." O comandante também mandou um recado aos motoristas: "Espero que a sociedade coopere, que tenha cuidado no trânsito, para não causar acidentes." Solicitada pelo governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), ao tomar posse, em janeiro, a Força chegou ao Estado no mesmo mês. De início, atuou exclusivamente nas divisas fluminenses, onde apreendeu dez quilos de maconha, que estavam com uma menor num ônibus de turismo, e 75 celulares sem nota fiscal. Em fevereiro, parte da tropa foi treinada por instrutores do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope), na Favela Tavares Bastos (zona sul), considerada tranqüila, para atuar em áreas de risco da capital. O curso, que durou quatro dias, incluiu simulações de confrontos com criminosos e de controle da população em situações de risco. Na semana passada, integrantes da Força participaram de uma operação policial no Complexo do Alemão (zona norte), que deixou seis mortos e dois feridos. Eles patrulharam somente o entorno do complexo e trocaram tiros com os traficantes.

Agencia Estado,

20 Fevereiro 2007 | 15h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.