Força Nacional usa bombas para liberar rodovia no entorno do DF

Moradores de duas cidades foram afetados pela paralisação dos motoristas e acabaram bloqueando duas rodovias que ligam cidades goianas a Brasília

Marília Assunção, O Estado de S. Paulo

08 de abril de 2014 | 19h26

Goiânia - Durou mais de dez horas a interdição da BR-40, no entorno do Distrito Federal, por motoristas de ônibus e passageiros que fizeram protestos nesta terça-feira, 8, por motivos trabalhistas, no caso dos motoristas, e melhorias no serviço, pelos passageiros. A Força Nacional foi acionada e dispersou os manifestantes em Valparaíso de Goiás. Os soldados utilizaram bombas de gás contra os manifestantes.

Pela manhã, a população queimou pneus e madeira na pista, e o Corpo de Bombeiros também interveio. Diferentemente do informado mais cedo, os manifestantes mantiveram o bloqueio até as 16 horas. Já um outro protesto, também no entorno, na GO-520, em Novo Gama, acabou antes.

Os moradores das duas cidades foram afetados pela paralisação dos motoristas e bloquearam as duas rodovias que ligam as cidades goianas do entorno a Brasília. Em Valparaíso, outro agravante foi um veículo ter passado direto, deixando muitos passageiros para trás, o que revoltou os usuários. Eles se reuniram e utilizaram pedras e paus no protesto.

Os motoristas pararam, alegando que estão com salários em atraso e que nem combustível há para fazer circular os ônibus da Viação Anapolina, com sede no município de Anápolis. Procurada, a empresa não falou com a reportagem.

Conforme divulgou o jornal Correio Braziliense, representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) estiveram na região e dialogaram com os moradores. A ANTT também informou que está em contato com a Viação Anapolina e que a empresa pode ser penalizada pela paralisação dos serviços ocorrida nesta terça. A precariedade do transporte coletivo na região tem sido motivo de vários protestos por parte da população das cidades que circundam Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.