Força Tarefa buscará mais mercadorias ilícitas em SP

Os integrantes da Força Tarefa Municipal se reuniram nesta sexta-feira para avaliar a operação feita na região central, na última quinta-feira, quando foram apreendidos US$ 1 milhão em mercadorias contrabandeadas para suprir camelôs da cidade. Ficou decidido que uma nova grande operação será feita nos próximos dias. "Não podemos revelar a data e nem o local. A operação foi um sucesso e vai ser repetida várias vezes na cidade", afirma o coordenador da Força Tarefa, o ouvidor-geral do município, Benedito Mariano. Existem 40 pontos que estão sendo investigados pela Força Tarefa e a nova operação deve ser feita entre as regiões da Lapa, Pinheiros e Santo Amaro. Nessas regiões a concentração de camelos é elevada. Na próxima reunião da Força Tarefa, marcada para quinta-feira, deve ser revelado o levantamento feito pela Receita Federal no patrimônio de 63 funcionários. Desse total, dez são do Serviço Funerário e 53 trabalham nas Administrações Regionais. Um levantamento preliminar revelou que 30 funcionários têm um patrimônio incompatível com os salários que recebem.Quem passou hoje pela região da 25 de Março encontrou os camelôs trabalhando normalmente. Nem parecia que um dia antes foi feito um grande trabalho envolvendo 500 funcionários públicos, entre policiais, promotores e auditores. Segundo Mariano, não foi feito nenhum esquema especial de policiamento porque não houve nenhum tumulto."O foco da Força Tarefa não é o camelô. Nosso trabalho é como o combate ao terrorismo. Estamos buscando as linhas de distribuição para cortar o suprimento. Sem as mercadorias, em breve não teremos mais camelôs", explica o promotor público, José Carlos Blat.O ouvidor-geral afirmou que o fato de não haver hoje um efetivo policial na região onde foi feita a primeira operação da Força Tarefa não significa descaso. "Estamos fazendo um monitoramento nos locais onde já encontramos os depósitos de mercadorias e nos que estamos investigando", explica. Segundo Mariano, quando for criada a Secretaria de Segurança Urbana, a Guarda Civil vai ser mais utilizada. Mariano já foi anunciado pela prefeita Marta Suplicy como títular da pasta.Mariano também espera ter para a próxima reunião um esboço jurídico das leis necessárias para implantar na prefeitura a "via rápida", que vai permitir acelerar a punição aos funcionários públicos acusados de atos de corrupção. A via rápida foi implantada pelo governador Geraldo Alckmin para agilizar os processos de expulsão das polícias civil e militar de maus policiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.