Forças Armadas não devem combater crime no RJ, diz Tarso

O ministro da Justiça, Tarso Genro, declarou-se na tarde desta segunda-feira, 9, contrário à idéia de se empregar as Forças Armadas no combate à violência no Rio de Janeiro. "As Forças Armadas são treinadas para outro tipo de missão. Não há adequação para isso", afirmou Genro. Ele acrescentou que essa não é sua opinião como ministro, e sim um princípio da Constituição. Genro, comentando o pedido do governador do Rio, Sérgio Cabral, de envio de tropas ao Estado, afirmou que essa é uma decisão a ser adotada pelo presidente da República. O ministro reconheceu que a violência urbana adquiriu um caráter preocupante, sobretudo nas grandes regiões metropolitanas, e defendeu um "movimento de pinça": de um lado, a ação repressiva da polícia e, de outro, o combate "às fontes da criminalidade", no médio e longo prazos. Genro não citou quais seriam essas fontes da criminalidade.

Agencia Estado,

09 Abril 2007 | 18h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.