Forte esquema da Polícia busca autores de atentado em Taboão

O Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) está realizando uma grande operação na região de Taboão da Serra para prender os autores do atentado contra o posto de policiamento comunitário da 1.ª Companhia do 25.º Batalhão, no Jardim Pirajuçara. O local foi metralhado por um grupo de homens, nesta manhã, por volta das 9h30min. Além dos disparos, o posto foi atingido por três granadas. Os policiais que estavam no local não se feriram.As forças táticas de três batalhões da PM da Comando de Policiamento de Área Metropolitano-8 (CPA-M8), responsável pelo patrulhamento das cidades da zona oeste da Grande São Paulo, foram mobilizadas por ordem do comandante do CPM, coronel Jairo Paes de Lira. Ao todo, cerca de 200 homens estão participando das buscas.O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) também foi acionado, já que das três granadas atiradas pelos bandidos, somente uma explodiu. As demais estão intactas caídas no chão e isoladas pela polícia. Os marginais chegaram num Fiat Pálio roubado que está estacionado próximo ao local. O carro, porém, não foi aberto por questões de segurança e não se sabe o que realmente há nas caixas.Ponto de honraO coronel Paes de Lira afirmou que o destino dos homens que atacaram o posto da PM em Taboão da Serra "será a cadeia". "É ponto de honra para a unidade localizá-los e prendê-los." Segundo ele, o ataque foi um gesto de desespero dos bandidos, que estão incomodados com a atuação da PM na região. "Eles perderam prestígio e estão tentando se reafirmar."Lira disse que ainda é cedo para ligar esse ataque ao que atingiu, na madrugada do último domingo, a base da PM no Jardim Vazame, em Embu, cidade vizinha a Taboão, apesar de o modo da ação ser o mesmo nos dois casos. O coronel afirmou também que, das granadas lançadas contra o posto de Taboão, duas eram de fabricação industrial e uma caseira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.