Forte vendaval causa estragos em Peruíbe

Um vendaval com velocidade média de 90 quilômetros por hora causou estragos na sexta-feira, 9, em Peruíbe, no litoral sul de São Paulo. Cerca de 80 casas foram destelhadas e outras quatro destruídas completamente. Quatro pessoas ficaram feridas, incluindo um bebê de apenas quatro meses, que na tarde de sábado permanecia hospitalizado, mas não corria risco de morte. De acordo com a Defesa Civil do município, havia na cidade cerca de 250 desabrigados.O meteorologista Celso Vernizzi, morador do município, disse que o fenômeno foi uma tempestade de verão causada pela alta temperatura de 38 graus aliada a uma umidade relativa do ar muito acentuada, cerca de 90%. "Mas no caso foi um temporal de tamanha magnitude porque foi em um local muito específico, na encosta da serra dos Itatins, que tem vegetação densa e muita umidade", explicou.Vernizzi lembrou que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) já havia alertado que as temperaturas médias mais elevadas em 2007 poderiam trazer alguns danos. "Só estamos confirmando as previsões", afirmou.A tempestade durou cerca de 40 minutos e atingiu uma área de cinco mil metros quadrados no bairro Nova Itariri, na divisa entre Peruíbe e o município de Itariri, no Vale do Ribeira. O ginásio municipal e a creche do bairro também tiveram seus telhados destruídos e alguns postes da rodovia Padre Manoel da Nóbrega entortaram com a força dos ventos.A Defesa Civil encaminhou os desabrigados para uma escola técnica da região, onde as famílias passaram a noite e no sábado estavam recebendo alimentos e doações. "A prefeitura está providenciando fornecimento de telhas junto a empresários da cidade. A ajuda humanitária começou hoje (sábado), recebemos várias doações. A Defesa Civil de São Paulo está mandando cestas básicas e colchões", disse o chefe da Defesa Civil de Peruíbe, Luis Carlos de Oliveira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.