Celso Júnior/AE
Celso Júnior/AE

Fortes promete investir em ciclovias no Dia Mundial Sem Carro

Ministro das Cidades foi a congresso em Brasília de bicicleta; projeto Vaga Viva promove atividades no ministério

Agência Brasil,

22 de setembro de 2009 | 11h27

Ao participar das comemorações do Dia Mundial Sem Carro na capital federal, o ministro das Cidades, Marcio Fortes, prometeu nesta terça-feira, 22, mais investimentos na construção de ciclovias e bicicletários em todo o Brasil. Ele pedalou ao lado de outros participantes do passeio até o Centro de Convenções Ulysses Guimarães, onde é realizado o 10.º Congresso Brasileiro de Municípios.

 

Veja também:

linkSP não amplia oferta de transporte

linkKassab e Moraes usam ônibus em SP

linkNo Rio, Eduardo Paes usa bicicleta

blog Dia Mundial Sem Carro surgiu na França

blog Dia Mundial Sem Carro em São Paulo

blog Vai deixar o carro? Conte aqui sua experiência

 

Perguntado sobre o montante a ser investido, ele disse que os recursos vão ser liberados à medida que as prefeituras pedirem a verba. "Cada cidade tem uma situação de necessidade", afirmou. "A bicicleta é fundamental. Com ela, você pode acessar um metrô, um terminal de ônibus e não necessariamente vir de carro. Vamos cuidar mais do meio ambiente, diminuindo a emissão de poluentes", disse Fortes, antes de participar do 10º Congresso Brasileiro de Municípios.

 

O ministro destacou que em alguns locais do País, como Brasília, o regime climático definido facilita o uso de bicicletas. Ele lembrou também que o sistema de locação de bicicletas, já implantado no Rio, barateia os custos com transporte. "Quanto mais gente utiliza bicicletas, mais ciclovias serão construídas", disse.

 

Para o presidente da organização não governamental Rodas da Paz, Ronaldo Alves, as comemorações trazem à tona não apenas as discussões sobre o uso intensivo de automóveis, mas também sobre todos os problemas de saúde pública e de falta de qualidade de vida provocados pela situação. "Temos uma alternativa não poluente, relativamente barata e que agrega pessoas, que é a bicicleta. Imagina o quanto os países vão deixar de gastar com doenças e com mortes no trânsito", afirmou.

 

Alves reconhece, entretanto, que as dificuldades ainda são muitas. Em Brasília, por exemplo, dos 600 quilômetros (km) de ciclovia prometidos pelo governo, apenas 42 km foram construídos até o momento. "E eles não caíram do céu. Temos que acreditar que é possível, mas falta muito."

 

Intervenção

 

No estacionamento do ministério, o projeto Vaga Viva realiza exposição de fotos, exibição de vídeos e lançamento do Concurso de Ideias para Mobilidade com Bicicletas, promovido pela Universidade de Brasília. Também ocorre nesta terça o seminário Dia sem Carro, que discutirá alternativas de mobilidade urbana.

 

Para marcar a data, a organização não governamental Greenpeace promove vagas vivas em oito capitais: São Paulo, Rio, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador, Manaus e Recife. As vagas vivas são manifestações pacíficas que ocorrem nessa data, quando o espaço na rua que seria ocupado por um carro estacionado é usado para promover uma atividade com a população.

 

Atualizado às 14h28 para acréscimo de informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.