Fortes ventos fazem Chapecó decretar estado de emergência

Ao menos 300 casa foram danificadas no município catarinense e cerca de 5 mil pessoas foram afetadas

Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2008 | 18h28

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (DEM) decretou situação de emergência no fim da tarde desta quinta-feira, 29, por conta dos ventos fortes que provocaram destruição na quarta-feira na cidade. De acordo com a Defesa Civil de Santa Catarina, pelo menos 300 residências foram danificadas na cidade, das quais 50 ficaram destruídas. O vendaval teria afetado aproximadamente cinco mil pessoas. A energia elétrica faltou por algumas horas durante a madrugada, em razão de árvores que caíram sobre os cabos condutores.  O meteorologista do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Epagri/Ciram) Marcelo Martins disse que os ventos chegaram a cerca de 80 quilômetros na região oeste. O fenômeno foi resultado da chegada de uma frente fria, contrastando com a temperatura elevada. Segundo a prefeitura, cinco bairros - Boa Vista, Presidente Médici, Vila Real, Passo dos Fortes e Líder - foram mais atingidos.  O Corpo de Bombeiros distribuiu vários rolos de lona para os consertos emergenciais e a prefeitura entregou sete mil telhas. O Epagri/Ciram prevê que a temperatura caia bastante em todo o Estado de Santa Catarina nesta madrugada. Para a região de Chapecó, há previsão de geada moderada a forte. A neve também pode cair nas cidades de São Joaquim, Urubici e Urupema, na Serra Catarinense, em função da possível chegada de uma forte massa de ar polar que se associa à umidade na região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.