Fotógrafo se queima em área de vegetação em chamas

O fotógrafo Edson Silva, do caderno Folha Ribeirão, da Folha de S. Paulo, sofreu queimaduras de segundo grau nos pés e de primeiro grau nas mãos, por volta de 9 horas desta quarta-feira, 30. Ele fotografava uma máquina da prefeitura que trabalhava para tentar conter a expansão de uma turfa, material formado por vegetação em decomposição que está em chamas, no bairro Heitor Rigon, quando a área do terreno onde estava começou a ceder. Ele correu, apoiando as mãos no solo, para evitar a queda no interior da turfa em chamas.Silva foi socorrido à Unidade Básica Distrital de Saúde (UBDS), do Quintino Facci II, e em seguida ao Hospital São Paulo. Às 13 horas, ele teve alta hospitalar. O fotógrafo ficará pelo menos uma semana afastado do trabalho, em recuperação. O incêndio da turfa começou há mais de dez dias e não cessou nem com chuva.Funcionários da prefeitura de Ribeirão Preto começaram nesta quarta-feira a isolar a área da turfa, para tentar evitar a expansão do foco do incêndio subterrâneo.O fotógrafo Silva aproximou-se de uma área instável e o solo começou a ceder. A área do terreno foi isolada pelo Corpo de Bombeiros para evitar que crianças, do bairro e até as que freqüentam uma escola próxima, se aproximem. No interior da turfa, a temperatura ultrapassa os 1 mil graus, segundo o diretor do Departamento de Gestão Ambiental do município, José Luiz Barbieri.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.