França anunciará mortes em 3 semanas, diz ministro francês

Ele afirmou que não há evidências de que a causa do acidente tenha sido um ataque terrorista

Central de Notícias,

04 de junho de 2009 | 17h50

O ministro das Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, informou que o presidente Nicolas Sarkozy acredita que há uma possibilidade mínima de encontrar sobrevivente. "Não há anúncio oficial, apenas fala-se em desaparecimento. Na França só o procurador da República pode anunciar as mortes e mesmo assim, só depois de três meses do desaparecimento. Com muitas evidências em três semanas".

 

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

lista Voo 447: Veja os nomes de todas as nacionalidades; são 102

lista Air France divulga lista de brasileiros no Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especial Conheça o Airbus A330 desaparecido no trajeto Rio-Paris  

blog Acompanhe a cobertura pelo blog Tempo Real

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especial Cronologia dos piores acidentes aéreos dos últimos dez anos

video Entenda a operação que localizou destroços

video TV Estadão: Especialista fala sobre o acidente

linkApenas 4 minutos da 1ª pane até a queda
linkAirbus voava em velocidade 'errada' e teria se 'desintegrado'

linkPiloto viu clarão na rota do Voo 447, informa jornal espanhol

linkGovernador do Rio cobra responsabilidades da Air France e da Airbus

 

 

 

 

 

Ele afirmou ainda que não há evidências de que a causa do acidente com o avião Airbus da Air France tenha sido um ataque terrorista. "É possível. Nenhuma hipótese pode ser afastada, mas não há evidências", afirmou em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, 4. Ele fez questão de ressaltar que o governo francês não está escondendo nenhuma informação e que o modelo do avião que desapareceu no Atlântico na segunda-feira, 1, é seguro, tanto que ele voltará para a França num Airbus.

 

De acordo com o ministro, as investigações sobre a causa do acidente serão feitas por um organismo jurídico independente - que é o responsável pelo inquérito - e estarão disponíveis diariamente no site da embaixada da França.

 

O ministro francês afirmou que veio ao Brasil em nome do presidente Sarkozy apresentar condolências e votos de amizade ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

"Hoje encontrei o ministro Celos Amorim, o governador Sérgio Cabral, familiares das vítimas e posso dizer que só posso compartilhar essa espécie de desespero. E a resposta a esse desespero é a fraternidade entre esses dois povos", destacou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.