França confirma desastre com voo 447

Confirmação se deu pelo fato de que combustível não seria suficiente para que avião ainda estivesse em voo

Fabiana Marchezi, da Central de Notícias,

01 de junho de 2009 | 14h52

A cônsul-geral do Brasil em Paris, Maria Celina Rodrigues informou nesta segunda-feira, 1, que o governo Francês confirmou o acidente com o voo AF 447.

 

Veja também:

Avião que ia do Rio a Paris com 228 a bordo desaparece no Atlântico

blog Acompanhe a cobertura pelo blog Tempo Real

lista Voo 447: Confira os passageiros confirmados até o momento

som Podcast: Especialista não tem dúvidas de que avião da Air France caiu no mar

som Podcast: Coronel da FAB fala sobre o desaparecimento do avião da Air France

especial Cronologia dos piores acidentes aéreos dos últimos dez anos

mais imagens Veja Galeria de fotos

especial Anac monta sala no Galeão para familiares; veja telefones de contato

video TV Estadão: Especialista fala sobre o acidente

Airbus pode ter sido atingido por raio durante tempestade

Voo 447 pode ter tido problemas em zona intertropical

'Eu fiquei branco, não sabia o que fazer', diz brasileiro em Paris

Ministro francês descarta que avião ainda esteja voando

Air France diz que 80 brasileiros estavam a bordo de avião

 

A confirmação se deu em função do tempo sem contato com a tripulação, ao fato de que o avião não foi localizado em nenhum aeroporto e pelo fato de que o combustível não é mais suficiente para que ele ainda esteja em voo.

 

Voo 447 pode ter tido problemas em zona de convergência intertropical. Foto: Inpe

 

"É um acidente. Não há mais nenhuma possibilidade, a não ser a de um desastre. Qualquer hipótese em contrário, seria um verdadeiro milagre. Houve uma série de mensagens automáticas que indicavam que havia panes elétricas. O cenário é de desastre".

 

Maria Celina confirmou que 44 brasileiros estavam a bordo, além de 40 franceses. Os demais desaparecidos entre os 228 ocupantes são de várias outras nacionalidades.

 

A cônsul também informou que as autoridades não descartam nenhum das hipóteses, mesmo a de atentado terrorista, embora tudo indique que essa hipótese seja a menos provável.

 

Sobre o atendimento aos familiares, ela disse que três famílias de brasileiros estão entre as atendidas no Centro de Crise montado no aeroporto Roissy-Charles de Gaulle.

 

O clima, segundo ela, é de profunda tristeza. Ela disse que a blindagem dos familiares vai continuar, porque é uma deliberação do governo francês de evitar o assédio da imprensa aos familiares.

 

Há pouco, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, esteve com os familiares no aeroporto e também com dirigentes da Air France, com o objetivo de demonstrar solidariedade diante do ocorrido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.