França minimiza chances de sinais serem de caixa-preta

Porta-voz afirma que vários sinais sonoros semelhantes foram captados e nenhum pertencia ao equipamento

Daniela Fernandes, BBC

23 de junho de 2009 | 08h09

O porta-voz do Estado Maior das Forças Armadas da França, comandante Christophe Prazuck, disse à BBC Brasil que vários sinais sonoros semelhantes aos emitidos pelas balizas das caixas pretas dos aviões foram detectados pela Marinha francesa nos últimos dias, mas que nenhum deles pertencia à caixa-preta do Airbus 330 da Air France.

 

Veja também

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas da FAB pelo Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

O comandante fez essas declarações em resposta às informações divulgadas pelo jornal Le Monde nesta terça-feira, 23, afirmando que a Marinha francesa teria captado sinais das balizas das caixas-pretas do voo 447.

"Temos detectado sinais sonoros na área de buscas nos últimos dias. Muitos deles são parecidos com os das balizas das caixas-pretas. Mas, após verificação, revelou-se que eles não pertenciam às caixas-pretas. Nunca confirmamos até o momento que os sinais seriam os das balizas do avião da Air France", disse Prazuck.

Segundo ele, os sinais foram captados em áreas distintas das regiões de buscas e são sempre "fracos". "As informações do Le Monde afirmam algo que, na realidade, vem ocorrendo regularmente. Até o momento, as caixas-pretas não foram detectadas, nem localizadas", afirmou Prazuck.

"Os sinais podem ser, às vezes, até de uma baleia equipada com algum tipo de emissor sonoro. Quando captamos os sinais, nunca estamos certos de que eles podem pertencer às caixas-pretas. Só podemos saber isso após análises mais aprofundadas", diz ele.

Busca continua

O BEA, órgão francês que investiga as causas do acidente, divulgou um comunicado na manhã desta terça-feira afirmando que "nenhum sinal emitido por balizas das caixas-pretas de aviões foi validado até o momento".

"Operações são regularmente realizadas no âmbito das buscas em andamento para tirar qualquer dúvida sobre os sons detectados", afirma o comunicado do BEA, que acrescenta ainda que "qualquer fato confirmado será divulgado".

Prazuck não deu maiores detalhes sobre o processo de identificação e comparação dos sinais sonoros, mas afirmou que os sinais das balizas são caracterizados uma frequência sonora em Khz precisa e também sons emitidos em um intervalo de tempo constante.

As balizas das caixas-pretas, que têm o tamanho de uma pilha grande, emitem sinais sonoros em um raio de apenas dois quilômetros.

Prazuck afirma que a Marinha da França dispõe de quatro navios na área de buscas, entre eles o submarino Émeraude, equipado com potentes sonares, que vem patrulhando a região desde o dia 10 de junho.

"Continuamos o mesmo processo de buscas das caixas-pretas. Consideramos a possibilidade de utilizar outros meios de busca", afirma o porta-voz do Estado Maior das Forças Armadas da França.

Os sinais das balizas são emitidos por no mínimo 30 dias, de acordo com o BEA. Como esse é o prazo tido como certo para que as balizas continuem emitindo os sinais, as autoridades francesas preferem considerar que dispõem de 30 dias para poder captar os sinais e tentar localizar as caixas-pretas.

Como o avião desapareceu no final da noite de 31 de maio, as balizas continuarão certamente emitindo sinais até o final deste mês. Após essa data, não é garantido que os sinais ainda sejam emitidos.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.