França vai começar 2ª fase de buscas aos destroços do Airbus

Nesta segunda fase, robôs vão fazer a exploração do fundo do mar para tentar encontrar mais partes do avião

02 Julho 2009 | 11h24

Equipes francesas vão começar uma segunda fase de buscas aos destroços do Airbus A330 que fazia o voo 447 da Air France. A nova fase de buscas deve começar entre os dias 14 e 20 de julho e durar aproximadamente um mês, até 15 de agosto, de acordo com Alain Bouillard, do Escritório de Investigações e Análises sobre a Aviação Civil (BEA). As autoridades francesa responsáveis pela investigação do acidente - que matou 228 pessoas no dia 31 de maio - apresentam um relatório preliminar nesta quinta-feira, 2.

 

Veja também

especialLeia íntegra da entrevista com o diretor da Air France

documento Relatório da BEA sobre o acidente (em inglês)

link Busca por caixa-preta vai durar mais 20 dias

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas da FAB pelo Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo  

 

Bouillard disse que ainda há esperanças de encontrar a caixa-preta do Airbus e esta primeira fase de buscas deve durar até o dia 10 de julho. Sem as evidencias cruciais da caixa-preta, as conclusões da BEA serão baseadas nas mensagens automáticas enviadas pelo avião antes de perder contato, e nos destroços e corpos encontrados no mar.

 

Na segunda fase das buscas, robôs vão fazer a exploração do fundo do mar para tentar encontrar mais partes do avião. "Estamos delimitando uma nova zona de exploração", afirmou Bouillard. Para ele, seria importante encontrar destroços do avião na região onde as buscas estão concentradas para se ter certeza de que as equipes estão no caminho correto.

 

"O avião A330 é grande e podemos encontrar partes importantes", disse Bouillard durante entrevista coletiva. "A região é uma zona difícil, com relevo complicado, o que dificulta muito as buscas." Um minissubmarino deve ajudar as equipes que buscam os destroços da aeronave.

 

Um mês após o acidente, 51 corpos de vítimas foram encontrados no Oceano Atlântico. Dos corpos resgatados, 35 vítimas já foram identificadas, de acordo com as equipes brasileiras que coordenam as buscas. A Polícia Federal e a Defesa Civil de Pernambuco devem continuar os trabalhos até o fim das identificações dos corpos.

 

Texto ampliado às 12h para acréscimo de informações.

Mais conteúdo sobre:
voo 447 Air France Airbus

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.