Franciscanos fazem feira de Santa Clara em São Paulo

Até o dia 11, os paulistanos poderão apreciar um pouco da vida, das missões e dos artigos produzidos pelos frades franciscanos, na 16ª Feira de Santa Clara. Aberta nesta quinta-feira no Convento de São Francisco, no centro de São Paulo, ela traz, além dos famosos vinhos do padre, consumidos nas missas, licores, mel, doces, bolos e roupas japonesas.Também não faltam imagens de santos, crucifixos, livros, filmes e CDs religiosos, roupas e esculturas do frei Pedro Pinheiro. Para chegar à feira, montada nos corredores internos do convento, os visitantes passam diante do altar da Igreja de São Francisco, inaugurada em 1647, e por outras partes do convento, que começou a funcionar onde hoje é a Faculdade de Direito da USP, ganhou suas novas alas em 1940 e abriga hoje 29 frades.Segundo o frei Mário Luiz Tagliari, a feira homenageia Santa Clara, porque ela foi a primeira mulher a seguir os passos de São Francisco e vestir o hábito franciscano. Nascida em Assis na Itália, em 1193, ela abandonou em 1209 o palácio onde vivia com os pais, para cuidar dos pobres."São Francisco não tomava nenhuma decisão sem consultá-la", diz o frei. Considerada padroeira da televisão, por ter "assistido? a uma missa de Natal sem ir até a igreja, em 1252, Santa Clara tem seu dia comemorado em 11 de agosto, data em que termina a feira. Até lá, os frades prometem cortar e distribuir à população 12 grandes bolos - sábado, às 8h30, e no próprio dia 11 - com cem medalhinhas de Santa Clara dentro de cada um. De amanhã ao dia 10, também haverá novena.Toda a renda conseguida na feira, que funciona entre 8h30 e 19 horas, será revertida para as missões franciscanas no Brasil e na África. Outra curiosidade é que os visitantes já podem sair do convento com suas compras benzidas pelos frades que circulam por ali. Um litro do vinho do padre custa R$ 7,00, e o pastel de Santa Clara, R$ 2,00. Já os pacotes de biscoitos saem por R$ 3,20. Convento São Francisco - Largo São Francisco, 133, centro. Telefone: (11) 3291-2400.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.