Fraudadora condenada a devolver R$ 200 mi ao INSS

Jorgina de Freitas foi condenada a 14 anos de prisão, em 1992, por desvios de verbas do instituto

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

21 de maio de 2010 | 03h52

A advogada Jorgina de Freitas, conhecida por causar, na década de 90, o maior rombo da história do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), foi condenada a devolver R$ 200 milhões aos cofres públicos. A decisão é da 27ª Vara Federal do Rio de Janeiro, que também condenou o contador Carlos Alberto Mello e manteve o bloqueio de todos os bens dos envolvidos na fraude para leilão.

 

Até agora, mais de R$ 69 milhões subtraídos pelo golpe já foram devolvidos. O valor total do desvio seria da ordem de R$ 500 milhões, mais de 50% de toda a arrecadação do INSS à época. Jorgina foi condenada a 14 anos de prisão em 1992, mas fugiu para a Costa Rica, onde ficou até 1997. Ele foi recapturada pela Justiça brasileira em 2008 e está presa desde então. Recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou recurso de Jorgina para apelar da sentença que a condenou pelas fraudes.

 

Com informações da Agência Brasil

Tudo o que sabemos sobre:
JorginaINSSfraude

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.