Fraude: veículos comuns usam placas oficiais em São Paulo

Pelo menos 10 mil carros dos conselhos regionais de profissionais de São Paulo estão circulando pelas ruas do Estado com placas brancas ou de bronze. Na fraude, descoberta pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), os veículos das autarquias circulavam como se fossem veículos oficiais. O esquema permitia que o conselho regional de determinada profissão não recolhesse ao Estado do IPVA e outras taxas de serviço, como a do licenciamento.Na tarde de terça-feira, 25, investigadores da Divisão de Crimes de Trânsito (DCT) flagraram dois veículos do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (Creci) com placas de bronze onde se lia "BRASIL", e placas brancas. Os carros foram apreendidos. Policiais do Detran constataram que 200 automóveis da frota do Creci têm placas oficiais.As placas de bronze, próprias de veículos de representação, são restritas a autoridades, como os presidentes dos tribunais federais, das assembléias e câmaras municipais, governadores, prefeitos, secretários estaduais e municipais. Carros com placas de bronze são livres do rodízio e têm permissão para circular em áreas restritas e estacionar em locais proibidos. As chapas brancas são exclusivas de veículos oficiais, para execução de serviços públicos externos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.