Freira grávida forja seqüestro e é presa

A freira Luzia Benedita Postes, 38, da Congregação de Santa Edwirges, auxilixadora de famílias carentes de Heliópolis, na zona sul de São Paulo, foi detida na noite de ontem quando realizava mais uma de suas ligações para familiares nas quais forjava o próprio sequestro.Há três meses, a freira desapareceu da paróquia localizada na Estrada das Lágrimas, no bairro de São João Clímaco, em Heliópolis. Na ocasião, as informações passadas à polícia eram de que Luzia havia sido seqüestrada. Na noite de ontem, quando realizava mais uma de suas ligações telefônicas, em um orelhão ao lado da estação Itaquera, do Metrô, na zona leste, dizendo que estava prestes a se liberada pelos bandidos, a freira foi presa por policiais civis.Ao ser levada ao 95.º Distrito Policial, de Heliópolis, a irmã Luzia disse ao delegado que, há nove meses conheceu um perueiro e ficou grávida dele. Seis meses depois, não dava mais para esconder a gravidez e, em acordo com o pai da criança, disse que iria desaparecer, forjar um seqüestro, ter a criança e entregar o bebê para um casal de desconhecidos.O plano só não se concretizou por completo pois a polícia já vinha rastreando as ligações feitas pela freira e, desta vez, Luzia Benedita Postes foi detida. A equipe do plantão policial da delegacia de Heliópolis negou-se a passar o nome do perueiro casado; ele não quis falar com a imprensa a respeito. A polícia ainda não sabe com qual casal Luzia deixou o bebê.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.