Frente fria deixa tempo instável e derruba temperaturas

Nesta segunda-feira, 28, a chegada de uma nova massa de ar polar no Sul do País trará muito frio, especialmente no Rio Grande do Sul, e nuvens carregadas sobre boa parte do Sudeste, segundo previsão do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Tempo firme, apenas no sul de Mato Grosso do Sul e no norte de Goiás, de Minas Gerais e do Espírito Santo. As temperaturas máximas entram em declínio em São Paulo, Rio e sul de Minas. Na capital paulista, foram registrados 19 graus às 11 horas desta segunda-feira, 28, com 68% de umidade relativa do ar. O avanço da frente fria e áreas de instabilidade tropical causa aumento de nuvens ao longo do dia no Amazonas, em Roraima, no Acre, em Rondônia e em boa parte do Sudeste e do Centro-Oeste do país. Há a possibilidade de fortes pancadas de chuva no Rio de Janeiro, centro-sul de Minas Gerais, no Triângulo Mineiro, no norte paulista e no leste de Goiás. A umidade que o vento traz do mar deixa o tempo chuvoso na faixa litorânea entre Santa Catarina e São Paulo, com possibilidade de chuva a qualquer hora do dia. O tempo instável deixa o mar agitado no Sul, com ondas chegando a até 4 metros de altura em mar aberto. No sul paulista, centro-norte e leste do Paraná e centro-sul de Mato Grosso do Sul, a nebulosidade estará variável. A Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, alertou para a possibilidade de temporais isolados com chuva forte, descargas elétricas e rajadas de vento de até 60 km/hora, principalmente no nordeste de São Paulo e no sul de Espírito Santo.No centro-oeste paulista, norte do Mato Grosso do Sul, sul e oeste de Mato Grosso e centro-sul de Goiás, e também em Rondônia, Acre, Amazonas e Roraima, haverá variação de nebulosidade e pancadas de chuva. No Amapá e no norte do Pará há possibilidade de pancadas de chuva. Na faixa litorânea de Sergipe ao Rio Grande do Norte, há a possibilidade de chuvas rápidas. Nas demais áreas do Brasil será um dia de sol. Ampliada às 15h41

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.