Mycchel Legnaghi/São Joaquim Online
Mycchel Legnaghi/São Joaquim Online

Ar polar provoca neve e vendaval em Santa Catarina

Fenômeno foi registrado em Cruzeiro, na região serrana do Estado; a semana deve ter geada

Marcone Tavella, SÃO JOAQUIM

21 de agosto de 2016 | 16h07

Previstos para sábado, 20, os primeiros flocos de neve caíram sobre a região da Serra Catarinense somente no domingo, por volta das 10h. O fenômeno foi registrado em Cruzeiro, a 15 quilômetros de São Joaquim. A previsão da Epagri/Ciram, órgão estadual que monitora as condições climáticas, é de que a neve ocorra em vários pontos ao longo deste domingo.

A neve é boa notícia para os turistas, que ocuparam 95% dos 6 mil leitos disponíveis nas cidades de Urupema, Urubici, Rio Rufino, São Joaquim, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro e Lages, segundo informações do Serra Catarinense Convention & Visitors Bureau. O frio deve se intensificar até a quarta-feira, 24, devido a uma massa de ar polar que está de passagem pela região Sul do Brasil. 

Apesar do frio, o tempo deve ficar mais seco a partir desta segunda-feira e a tendência de neve diminui. O alerta da Defesa Civil é para o risco de geada ampla para o início da semana.

A frente fria, que conduziu a massa de ar polar ao Sul do Estado, ajudou a formar muita instabilidade, com temporais e ventania com rajadas de vento de 113 km/h, registradas no Morro da Igreja, em Urubici (SC), e 97 km/h em Santa Marta, no litoral catarinense. O grande volume de chuva dos últimos três dias deixou áreas alagadas, com registro de pequenos deslizamentos, sem danos materiais.

No sábado, a região central do município de Majo Vieira alagou. Quedas de muros residenciais ocorreram em  Canoinhas, Lages, Taió e em Rio do Sul. Em Ascurra, uma família teve que deixar uma casa no início da noite por causa do risco de deslizamento de terra. Outro grupo teve que deixar a residência em Apiuna pelo mesmo problema.

A Defesa Civil continua alertando neste domingo para risco de deslizamento no Planalto e Litoral Norte e Vale do Itajaí, nos municípios de Rio Negrinho, Joinville, Schroeder, Corupá, Rio do Campo, Jaraguá do Sul, Papanduva, Guaramirim, Rio do Sul, Canoinhas e Mirim Doce. O rio de Rio Negrinho, no Planalto Norte, está saindo da calha e pode atingir residências em áreas de risco.

Um ciclone deixa a maré alta, que associada ao vento, pode provocar alagamentos nas regiões mais baixas do litoral catarinense. Florianópolis, Balneário Camboriú, Barra Velha, Araranguá, Laguna, Itajaí, Joinville e Tijucas são alguns dos municípios que poderão ser afetados.

Tudo o que sabemos sobre:
NeveSanta CatarinaTurismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.