Frentista passa 14 horas refém de bandidos em Guarulhos

A frentista Edlene Teles da Silva, 25 anos, passou 14 horas de terror em poder de três seqüestradores, na madrugada de terça-feira, 27, em Guarulhos, Grande São Paulo. Para libertá-la, os criminosos exigiram R$ 50 mil do gerente do posto de combustível onde a vítima trabalha. Depois reduziram o valor para R$ 8 mil. O Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) foi avisado. Segundo a Polícia Civil, durante a entrega do dinheiro, os bandidos fugiram, mas foram perseguidos e mortos na troca de tiros.Eram 13h30 de segunda-feira quando Edlene foi rendida pelos seqüestradores. A frentista trabalha no posto Plataforma, na Avenida 7 de setembro, 2.000, Vila Galvão. Ela saiu para ir a uma papelaria vizinha, mas os criminosos pensaram que estivesse a caminho de um banco para fazer depósito em dinheiro.Edlene foi colocada num Fiat Tipo preto. Uma testemunha, cliente do posto, presenciou a ação e ainda recolheu um papel e uma folha de cheque que a frentista deixou cair ao ser levada. Os seqüestradores exigiram, a princípio, R$ 50 mil para libertá-la.LigaçõesEdlene telefonou de seu celular para o gerente do posto Samuel Oliveira Silva, 38 anos, e comunicou o seqüestro. Também informou sobre o valor do resgate exigido pelos criminosos. A ligação foi feita 40 minutos após ela ter sido abordada. Policiais civis do Garra de Guarulhos foram avisados.Às 23h30 de segunda-feira, um dos seqüestradores fez a segunda ligação, usando o celular da vítima. O valor do resgate foi reduzido para R$ 8 mil. O criminoso exigiu que o gerente fosse sozinho ao Centro de Guarulhos, perto do Fórum e de uma lanchonete McDonald?s, para fazer a entrega do dinheiro. Silva foi ao local, mas ninguém apareceu.Já as 2 horas de terça, o seqüestrador fez a terceira ligação. Dessa vez mandou Silva levar o dinheiro para um menor, na frente da Padaria Versalles, na Avenida Timóteo Penteado, em Picanço. J.X.S., 15 anos, pegou os R$ 8 mil e entrou num táxi.O veículo seguiu em direção ao Jaçanã, na zona norte da capital, mas foi seguido por policiais do Garra. Perto da estação Tucuruvi do Metrô, o táxi foi abordado. O adolescente disse que iria entregar o dinheiro aos criminosos na Avenida Zaki Narchi, Santana, zona norte.Os homens do Garra e o menor foram ao local combinado. Os seqüestradores viram a chegada dos policiais e fugiram. Na esquina das Ruas José Bernardo Pinto e Galatea,Carandiru, o Tipo bateu no portão do Expo Center Norte. A vítima desceu do carro e correu para um lado.Segundo a polícia, os criminosos também desceram do carro, correram para outro lado, atiraram contra os policiais, mas levaram a pior na troca de tiros. Thiago Gabriel da Silva, 22 anos; Bruno Marques, 23 anos, e Ernesto Mendes Damasceno, 22 anos, deram entrada às 3h15 no PS Santana.Edlene escapou ilesa. O dinheiro foi recuperado. Os policiais informaram que foram apreendidos com os seqüestradores um revólver 38, uma pistola 765 e outra ponto 40.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.