Frevo pode se tornar Patrimônio Cultural Brasileiro

O frevo, ritmo musical característico do carnaval de Pernambuco, que surgiu nas ruas do centro do Recife no fim do século 19, "tem tudo para conseguir se consagrar também como acervo da cultura nacional", segundo afirmou o ministro da Cultura, Gilberto Gil. Ele participou, ontem, na Praça do Arsenal da Marinha, da solenidade de solicitação para que o frevo se torne Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro no próximo dia 15 de março. De acordo com o ministro, ao lado do samba e do baião, o frevo é um dos ritmos brasileiros que devem ser preservados e propagados. "O frevo é uma das grandes riquezas musicais. Temos que nos responsabilizar pela permanência do interesse das gerações futuras pelo ritmo originário de Pernambuco. O registro é uma das formas mais imediatas de assegurar a perpetuação dessa forma de expressão da cultura popular. Por essa razão, acredito que não haverá nenhum empecilho na aprovação do pleito de Pernambuco", destacou Gilberto Gil. O secretário municipal de cultura, Roberto Peixe, disse que transformar o frevo em patrimônio imaterial do Brasil vai possibilitar que a manifestação cultural popular seja ensinada aos estudantes, nas escolas da rede pública. A solenidade foi encerrada ao som de vassourinha, o frevo mais conhecido no Brasil.Atualmente 25 processos de registro de patrimônio imaterial estão aguardando aprovação no Brasil. A documentação é analisada por uma comissão do Instituto Histórico e Artístico Nacional, IPHAN. Sete manifestações culturais do Brasil já foram reconhecidas como patrimônio imaterial, incluindo o samba de roda, de Salvador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.