Frio pode ter matado homem que dormia na rua, no Rio

O Corpo de Bombeiros recolheu nesta quinta-feira o corpo de um homem, aparentando 70 anos, que dormia numa rua do centro do Rio. De acordo com os bombeiros, a causa da morte teria sido o frio, que chegou a 10,2 graus Celsius, nesta madrugada. O diretor do Instituto Médico Legal, Roger Ancillotti, contestou a versão e disse que a vítima teve gastrite hemorrágica e parada respiratória causada por fibrose pulmonar. Segundo a 4ª Delegacia de Polícia, onde a morte foi registrada, o homem não tinha documentos. De acordo com os policiais, pela posição em que foi encontrado, encolhido e enrolado em panos e roupas velhas, na esquina das ruas Barão de São Felix e Bento Ribeiro, perto da estação Central do Brasil, ele deve ter morrido dormindo. Depois da semana mais fria do ano, a temperatura começou a subir nesta quinta à tarde, embora tenha caído pancadas de chuva no centro da cidade e na zona sul na noite de quarta-feira. Apesar disso, a Defesa Civil não registrou nenhum atendimento. Segundo o Climatempo, de sexta a domingo, a temperatura deve subir e a ressaca, que teve ondas de até quatro metros no início da semana, deve acabar. Na segunda e terça-feira, o mar invadiu o asfalto do Leblon a Copacabana, na orla da zona sul, e derrubou o quebra-mar na praia da Macumba, na zona oeste.A previsão para o fim de semana é de sol no Rio, mas na Região dos Lagos e no norte do Estado haverá muita nebulosidade e chuva fina. Em Angra dos Reis, no litoral sul,o barco Luar de Parati naufragou nesta quinta de manhã, na Baía da Ilha Grande, com 17 pessoas que foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros e levadas para a Praia do Abraão, na Ilha Grande. Não houve vítimas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.