Fuga e motim em cadeia superlotada de Itu

Depois de cavar um túnel com 5 metros de extensão e pouco mais de 30 centímetros de diâmetro, 11 presos fugiram hoje da Cadeia Pública de Itu, na região de Sorocaba. Até o fim da tarde, somente dois tinham sido recapturados. A cadeia, com capacidade para 48 detentos, estava com 176 quando se iniciou a fuga. O túnel, cavado no interior da cela 1, saía no pátio externo, de onde os presos pulavam o portão da rua. A fuga foi prejudicada porque, durante a escavação do túnel, os presos arrebentaram um cano de esgoto, exalando forte mau cheiro. Um carcereiro percebeu a movimentação e deu o alerta. O prédio foi cercado pela Polícia Militar. Inconformados, os presos se amotinaram, arrebentando os cadeados das celas e ocupando o pátio e corredores. Cinco celas tiveram as grades serradas. Eles protestavam contra o excesso de lotação. O delegado José Barbosa Moreira Netto negociou a volta para as celas. Ele conseguiu a remoção de oito detentos, mas na hora da transferência, houve resistência dos presos. Foi preciso pedir reforço à Polícia Civil de Sorocaba. Segundo o delegado, o prédio da cadeia, bastante antigo, está sendo destruído pelos presos em razão das sucessivas tentativas de fuga. Lajes, paredes e pisos estão cheios de remendos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.