Fuga e protestos tumultuam presídio no PR

Presos do minipresídio Hildebrando de Souza, em Ponta Grossa, a 120 quilômetros de Curitiba, promoveram um tumulto no início da manhã de hoje, que terminou somente por volta das 14 horas. Tudo começou com a fuga de sete presos. Um deles foi morto pela polícia durante confronto. Os presos reclamavam da superpopulação carcerária. Com capacidade para 112 presos, a unidade está com 230 pessoas.A fuga aconteceu por volta das 3 horas da madrugada, quando os sete presos conseguiram cavar um buraco. A ação foi percebida pela manhã, quando os policiais entraram nas celas para fazer uma revista. Segundo as informações repassadas por presos aos familiares, por meio de bilhetes, eles teriam sido maltratados pelos policiais. Em razão disso, passaram a colocar fogo em papéis e colchões, o que provocou muita fumaça e problemas de respiração em alguns presos.O tumulto no presídio foi contornado somente por volta das 14 horas, com a interferência de delegados e promotores públicos. Os presos reclamaram da superpopulação, reivindicando que 20% deles fossem transferidos para outras unidades, mas isso não foi aceito. Na captura dos fugitivos, a polícia trocou tiros com dois presos, sendo que um deles - Gilmar Guedes Carvalho - foi morto com um tiro no peito. O outro foi recapturado. O minipresídio tem mais de 30 anos. Construído para 80 presos, ele foi ampliado no início do ano, passando a comportar 112 presos. Outra penitenciária está sendo construída em Ponta Grossa, com capacidade para 450 internos, mas ficará pronta somente no fim do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.