Fuga frustrada acaba em morte em cadeia em Minas Gerais

O detento Ailton Moreira Barbosa, de 20 anos, condenado por tráfico de drogas, morreu na tarde de domingo, 17, após tentar escapar da cadeia pública da cidade de Teófilo Otoni (MG), distante 446 quilômetros de Belo Horizonte, na região do Vale do Mucuri.O detento, junto com outros presos da cela sete, cavaram um túnel até a rua que dá acesso aos fundos do presídio. Porém, na fuga, Barbosa foi surpreendido pelas águas da chuva, que penetraram e inundaram o túnel. O laudo definitivo ainda não foi divulgado, mas a causa da morte pode ter sido afogamento.De acordo com Isaías Pontes de Melo, delegado responsável pela região do Vale do Mucuri, a tentativa de fuga foi denunciada pelos próprios detentos. "Os presos se assustaram com a morte do companheiro que não conseguiu sair do túnel. Com receio de que outros companheiros tivessem o mesmo destino, alertaram o policial que fazia o plantão. Por sorte, nenhum outro preso ficou preso no túnel que possui várias ramificações", disse. O Vale do Mucuri é uma das regiões mais castigadas pelas chuvas em Minas.Segundo o delegado, os detentos queriam aproveitar justamente o período chuvoso, quando o terreno está mais macio, o que facilita à escavação, para tentar escapar. Porém, como a cadeia fica numa região mais baixa, a água se acumula no local. "A área onde os bombeiros acharam o corpo do preso estava alagada. Por ser uma região de baixada, a água das chuvas se acumula", explicou Melo. A cadeia pública de Teófilo Otoni tem capacidade para 50 detentos. No momento, mais de 150 presos dividem precariamente o espaço das celas.ChuvasAs fortes chuvas que atingem todo o Estado de Minas Gerais há cerca de 30 dias fizeram mais duas vítimas na madrugada desta segunda-feira, 28. Desta vez, foi na região leste. Conforme a Defesa Civil, durante a madrugada um casal que morava no distrito de Córrego Frio, zona rural de Cantagalo, foi soterrado dentro da própria casa e morreu na hora. A mãe da mulher, que também dormia na casa, foi resgata dos escombros e internada em estado grave no Hospital de Peçanha, cidade vizinha. Com isso, o número de mortes em Minas subiu para 14 desde o início do período chuvoso.De acordo com o prefeito de Cantagalo, Roberto Oliveira Queiroz, as chuvas provocaram vários estragos na região. Porém, ainda não se sabe ao certo o tamanho do prejuízo. "Ainda estamos fazendo o levantamento. Porém, a força das chuvas da última madrugada pegou de surpresa à população", afirmou.Conforme balanço da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), até o momento, Minas Gerais registra mais de 2.600 desabrigados e 6.800 desalojados. Quarenta e um municípios decretaram situação de emergência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.