Fuga frustrada se transforma em rebelião em Hortolândia

Seis agentes penitenciários eram mantidos reféns, desde o final da madrugada desta quarta-feira, por parte dos cerca de 1.300 presos que superlotam o Centro de Detenção Provisória P-III de Hortolândia, cidade localizada a 105 quilômetros da capital paulista, na região de Campinas.Desde as 5h desta manhã, quando teve início o motim, policiais militares e civis cercavam o complexo prisional, que tem capacidade para abrigar no máximo 750 homens e que fica na altura do km 5 da Rodovia Campinas/Montemor, no Jardim Novo Ângulo.Segundo as primeiras informações, a rebelião teve início após uma tentativa frustrada de fuga. Com a ação impedida, os presos resolveram tomar alguns agentes como reféns. Até as 07h45 não havia informações sobre feridos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.