Fugitivo confessa morte de médico

Depois de um mês de buscas, a polícia de Santos anunciou ter prendido o assassino do médico Marcos Lopes de Paiva, de 26 anos, morto no último dia 4 de maio, na véspera do seu casamento. Evandro Alves da Silva, de 21 anos, conhecido como "Chocolate", foragido do Presídio Semi-Aberto de Mongaguá, confessou ao delegado Luiz Vasco dos Santos Borges de Campos, do 4º Distrito Policial, que a vítima foi assassinada durante um seqüestro relâmpago, "por ter reagido".O crime teria sido praticado por outros dois comparsas de Chocolate, que afirmou ter atuado apenas como motorista na operação. O médico foi abordado pelos assassinos após participar de uma despedida de solteiro com dois amigos, em um bar da orla. Ele foi obrigado a efetuar dois saques de R$ 100,00, em dois diferentes caixas eletrônicos, nos bancos do Brasil e Real. O Golf da vítima foi levado, depois disso, para uma rua escura do bairro do Macuco, onde a vítima acabou sendo morta com um tiro na nuca. O veículo foi abandonado a quilômetros de distância do local, na Rua São Paulo, no bairro do Campo Grande. "O esclarecimento desse crime era uma questão de honra para toda a polícia da Baixada Santista, que não poupou esforços na busca dos assassinos", afirmou o delegado Luiz Vasco, anunciando ao mesmo tempo que a prisão dos outros dois comparsas de Chocolate deverá ocorrer nas próximas horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.