Fumaça no ar-condicionado forçou pouso de Boeing, diz BRA

A empresa aérea BRA divulgou nota no início da tarde desta quinta-feira, explicando que a fumaça no ar-condicionado causou o pouso forçado, na noite de quarta-feira, 31, no Boeing 737-300 da companhia, no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos. O avião, com um grupo de 50 passageiros, partiu do aeroporto de Congonhas às 19h40, na zona sul da cidade. Após vinte minutos, o comandante da aeronave sentiu um forte cheiro de queimado no interior da cabine e, por precaução, resolveu pousar no Aeroporto de Cumbica. O vôo 1062 tinha como destino a capital baiana e escalas no Rio e em Belo Horizonte. Conforme o comunicado, "a ocorrência deveu-se ao fato de ter sido detectada fumaça no interior da cabine, provocada pelo aquecimento de óleo hidráulico residual no sistema pneumático (ar-condicionado) do avião". Após o pouso, os passageiros foram reembarcados, às 22h30, em outro avião da BRA e prosseguiram normalmente a viagem. De acordo com a companhia, 20 passageiros decidiram permanecer em São Paulo e foram acomodados em hotéis pela companhia aérea até que seus vôos fossem remarcados. "A BRA realizou uma limpeza dos dutos de ar condicionado da aeronave, que foi reintegrada à frota e já voltou à operação".

Agencia Estado,

01 Fevereiro 2007 | 14h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.