Funai acha garimpeiros mortos em confronto com índios

O presidente da Funai, Mércio Pereira, confirmou neste sábado que entre 17 e 20 corpos de garimpeiros foram encontrados por funcionários da instituição na reserva Roosevelt, no Sul de Rondônia. Os índios cinta-larga são os principais suspeitos pelas mortes, já que, desde o ano passado, estão confronto com garimpeiros que chegaram à região desde que foi descoberta, na área indígena, a maior reserva de diamantes do País.Os corpos, segundo Pereira, estão despedaçados e em adiantado estado de decomposição, o que dificulta até a contagem do número exato de vítimas. Deixados na mata, a céu aberto, próximo a um igarapé, os corpos foram atacados por animais e ficaram ainda mais irreconhecíveis.A narrativa da chacina foi feita por funcionários da Funai, que percorreram a reserva e chegaram aos corpos após conversarem com os líderes da aldeia. Mais de 200 policiais federais, reforçados pela Polícia Militar, estão a postos no sul de Rondônia para impedir o agravamento do conflito entre índios cinta-larga e garimpeiros, que ameaçam fazer retaliações. Nos últimos dias, duas casas de índios aculturados, na periferia de Espigão D´Oeste, foram queimadas e um índio foi salvo pela polícia quando estava prestes a ser linchado numa praça central da cidade.Pereira deu a informação depois de ter se encontrado, na Esplanada dos Ministérios, com representantes de 18 povos indígenas que foram a Brasília pressionar o governo pela homologação da reserva Raposa Serra do Sol, de Roraima, disputada por plantadores de arroz e pecuaristas. Os índios receberam Pereira com cânticos e danças típicas. Ele informou que no próximo dia 27 o presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgará um pacote de medidas em favor das comunidades indígenas.Segundo ele, os índios vêm tentando expulsar os garimpeiros. No ano passado, com o auxílio da Funai, 4.500 foram expulsos, mas 600 deles insistem em retornar e freqüentemente entram em choque. Na semana passada, já tinham sido encontrados os corpo de três garimpeiros. "Os índios têm o direito de defender suas terras. Os garimpeiros estão completamente ilegais e lamentavelmente essas coisas acontecem", disse Pereira.

Agencia Estado,

17 de abril de 2004 | 17h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.