Funai quer apoio da Defesa em área indígena

RIO BRANCO

, O Estado de S.Paulo

09 Agosto 2011 | 00h00

O presidente da Funai, Marcio Meira, visitará hoje a base da Frente de Proteção Etnoambiental do Rio Envira na fronteira do Acre com o Peru, que foi atacada e tomada por narcotraficantes armados no fim de julho. A base, mantida pela Funai desde 1987, visa a proteger povos indígenas isolados e seus territórios.

Na sexta-feira, ação conjunta da Polícia Federal, do Exército e da Secretaria de Segurança Pública do Acre conseguiu retomar a base e prender o português Joaquim Antônio Custódio Fadista, condenado por tráfico de drogas no Brasil e em Luxemburgo.

Meira tenta articular com o Ministério da Defesa medidas de proteção para a faixa de fronteira com o Peru, que abriga grande número de índios isolados. A região forma um corredor de mais de 630 mil hectares de florestas na fronteira e é alvo de exploradores de madeira ilegal e narcotraficantes. / GOLBY PULLING, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.