Funcionário da Eletropaulo é feito refém e torturado

O eletricista José Ribamar Pereira da Silva, de 41 anos, foi preso ontem acusado de manter em cárcere privado e torturar um funcionário da Eletropaulo que faz a leitura de relógios de luz. P.P.J, de 41 anos, ficou sob a mira de um revólver por mais de 37 horas - das 18h30 de terça-feira até as 7h50 de ontem - em uma casa na Liberdade, centro.P. contou ter sido torturado com choques e desmaiado. Segundo o soldado da PM Everson Mendes, na terça Silva pediu que P. olhasse o relógio de sua casa. Depois, pediu que ele voltasse mais tarde para mostrar a outro morador da casa que o relógio funcionava.Quando retornou, P. foi surpreendido ao ser trancado por Silva em um cômodo do sobrado. "Ele parecia um bicho. Virou psicopata, me amarrou, falou que os funcionários da Eletropaulo tinham de morrer e eram corruptos."Rendido, P. foi obrigado a simular participação em um roubo a banco. "Tive de me jogar no chão, pegar uma arma e fingir que mandava entregar cheques e dinheiro. Cheguei a ser chamado de mole por não atirar."Um vizinho ouviu gritos e chamou a polícia. Silva foi preso em flagrante. P. estava na cozinha, com pés e mãos amarrados. Uma arma calibre 38 estava dentro do forno. Silva tem passagem na polícia por difamação, injúria, furto, roubo e perturbação do trabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.