Funcionário da Fundação Casa é executado em SP

Ele era coordenador de um grupo de agentes que atende adolescentes da entidade no bairro do Brás

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

21 de abril de 2010 | 02h16

Um funcionário da Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente (CASA) foi morto, às 17h15 desta terça-feira, 20, na porta da casa da enteada, na altura do nº 15 da Rua Henry Fuseli, no Parque dos Bancários, região do Sapopemba, na zona leste de São Paulo.

 

Ao sair da residência para colocar as compras no interior do Ford Fiesta azul, placas CIG 1618, Sidney Gonçalves, de 39 anos, coordenador de um grupo de agentes socioeducativos da unidade da Fundação Casa do Brás, região centro-leste da capital, foi abordado por um desconhecido que ocupava uma moto escura, sem placas e com a numeração do chassis raspada. Baleado na perna, Gonçalves ainda correu, mas foi atingido novamente e ferido à queima-roupa nas costas assim que caiu.

 

Um dos tiros disparados pelo assassino durante a perseguição atingiu a nunca de uma criança, identificada como Katley, de 3 anos, moradora da mesma rua. Sidney morreu no local. A menina, encaminhada por testemunhas para o pronto-socorro do Jardim Iva, passou por cirurgia e, ao ter o quadro estabilizado, porém grave, foi transferida para o Hospital São Paulo, na Vila Clementino, na zona sul de São Paulo, onde continua internada. Os pais, até a 1h45 desta madrugada de quarta-feira, 21, não haviam prestado depoimento ainda na delegacia.

 

Sidney Gonçalves trabalhava na Fundação Casa havia 8 anos. A esposa, Cristiane Mendonça, afirmou que o marido nunca comentou que estivesse sofrendo alguma ameaça, mas tinha receio de sair ao lado de familiares e ser reconhecido na rua, pois temia pela integridade física de seus parentes. O caso foi registrado como homicídio e tentativa de homicídio no 41º Distrito Policial, da Vila Rica, pelo delegado André Luiz Barbosa. A suposta moto utilizada pelo assassino foi deixada no local e passará por perícia.

Tudo o que sabemos sobre:
CASAhomicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.