Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Funcionário que vendia lotes em cemitério é exonerado

A prefeitura de Curitiba exonerou nesta segunda-feira do cargo de chefe da Divisão de Cemitérios o funcionário público Juarez Lopes de Oliveira, flagrado oferecendo lotes no Cemitério Municipal São Francisco de Paula por R$ 4 mil. O cemitério, um dos mais tradicionais de Curitiba, está lotado e há uma fila de 840 famílias aguardando, algumas há mais de 10 anos, por vagas que eventualmente aparecem em razão do abandono de sepulturas. O lote não é vendido, mas oferecido por concessão pela prefeitura após publicação de edital.A reportagem foi levada ao ar na noite de domingo pelo Fantástico, da Rede Globo. A atividade ilícita foi flagrada por uma câmera escondida. A Procuradoria Geral do Município instalou uma sindicância. "Vamos apurar as informações com rigidez", afirmou o procurador Luiz Carlos Caldas. O prazo para encerramento da sindicância é de 15 dias e pode resultar na demissão do funcionário. Os dados coletados serão remetidos pela prefeitura à Delegacia de Crimes contra o Patrimônio Público e ao Ministério Público para apurar possível crime.Hoje pela manhã, o funcionário ainda compareceu ao local de trabalho, onde recebeu a informação da exoneração. Ele alegou inocência, dizendo que vinha investigando uma possível venda de lotes. Por isso teria marcado um encontro para descobrir o esquema. "Acabei caindo ingenuamente numa roubada", lamentou. Caldas garantiu que Oliveira terá todo o direito de defesa. Ele é funcionário da prefeitura há 17 anos e ocupava o cargo de chefe da Divisão de Cemitérios havia um ano e meio.

Agencia Estado,

25 de novembro de 2002 | 16h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.