Funcionários caem em fosso de elevador de hotel; 1 morre

Um garçom morreu e outro ficou ferido no final da noite de anteontem após caírem no fosso de um dos elevadores de serviço do Hotel Belo Horizonte Othon Palace, um dos mais luxuosos da capital mineira. De acordo com a Polícia Militar, Wellington Marinho da Silva, de 26 anos, e Cláudio Damião Rodrigues de Gouveia, de 22, estavam no 25º e último andar do hotel, onde funciona um restaurante. Durante uma brincadeira, eles teriam se escorado na porta do elevador, que se abriu. Wellington sofreu queda livre, foi decapitado e teve dilacerações. Cláudio conseguiu amortecer a queda se agarrando a um cabo de aço. Ele foi internado no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Ontem, seu estado era considerado estável. Ele sofreu escoriações e queimaduras nos braços e nas mãos. A Delegacia de Homicídios da Polícia Civil instaurou inquérito. A hipótese de homicídio está afastada a princípio. A perícia vai apontar se houve falha no equipamento. O capitão Bruno Menezes, do 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros, disse que aparentemente a porta do elevador estava "danificada". Segundo a Assessoria de Imprensa do hotel, o acidente ocorreu "após uma brincadeira inconsequente" e que a versão foi confirmada por testemunhas e pelo sobrevivente. O texto afirma que a "vistoria e manutenção dos elevadores do hotel estão em dia, sem que existam evidências de problemas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.