Funcionários da Febem decidem continuar em greve

Cerca de 250 funcionários da Fundação do Bem-Estar do Menor (Febem) decidiram, em assembléia realizada na sede do Sindicato dos Metroviários, na zona leste de São Paulo, continuar em greve por tempo indeterminado. De acordo com a Rádio CBN , eles reivindicam reajuste salarial de 24%. A Febem não tem proposta de aumento. O governador Geraldo Alckmin, que deve anunciar ainda nesta segunda-feira reajuste para o funcionalismo, não deve incluir os funcionários da Febem no pacote. A Fundação concedeu, em carta endereçada aos servidores, aumento apenas nos valesrefeição e transporte, além de pagamento parcelado de horas extras. Os funcionários fizeram, nesta manhã, passeata da unidade Tatuapé da Febem até a sede do Sindicato dos Metroviários, onde foi decidido o prolongamento da paralisação.Segundo o sindicato da categoria, a adesão à greve na capital aumentou para 75%. Cerca de 60% participam do movimento nointerior. Para a Febem, de 3 a 4% dos servidores aderiram à paralisação em todo o estado, o que representaria em torno de 130 a 150 funcionários, informou a assessoria de imprensa da fundação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.