Funcionários da Febem devem parar amanhã

Os 350 funcionários da Fundação estadual do Bem Estar do Menor (Febem), unidades 30, 31 e do internato de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, decidiram ontem paralisar as atividades a partir das 6 horas de hoje por tempo indeterminado. Eles garantem que só retornam ao trabalho quando o presidente da Febem, Saulo Silas, comparecer pessoalmente naunidade 30 e assinar um termo de compromisso.A decisão foi tomada em assembléia em frente a unidade 30 e reuniu cerca de 70 pessoas. Amanhã, às 9 horas, a categoria fará nova assembléia na sede do sindicato, na zona leste da capital, onde será discutido um movimento envolvendo todas as unidades da Febem. Ao todo, são 5.100 trabalhadores. A principal reivindicação da categoria diz respeito à segurança dos trabalhadores. Na pauta, eles pediram melhores condições de trabalho, diminuição do número de internos em cada unidade, e segurança externa da Polícia Militar, incluindo câmarasexternas e uma guarita.A resposta, em um fax da Febem, não agradou os funcionários. Para o presidente do Sindicato, Antônio Gilberto da Silva, o presidente da Febem "está se esquivando de qualquer responsabilidade", disse Gilberto Silva, mostrando o fax sem a assinatura de Silas.No conteúdo da resposta, o presidente da Febem adia para 16 de abril nova rodada de negociação com a categoria. "Isso não é possível. Já demos tempo demais prá ele", afirma Gilberto Silva.Durante a assembléia ficou acertado que apenas dois funcionários de cada alapassariam a noite no interior dos presídios. "Nós não vamos permitir a entrada dos funcionários do turno do dia, às 6 horas." A PM deve assumir a segurança nos presídios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.