Funcionários da Febem entram em greve nesta 5ªF

Cerca de 150 funcionários da Fundação do Bem-Estar do Menor (Febem), de Franco da Rocha, entram em greve a partir das 7 horas desta quinta-feira, por 24 horas, em protesto contra vistorias feitas na unidade pelo Ministério Público.Em uma delas, na última quinta-feira, os promotores da Infância e Juventude encontraram cassetetes, pedaços de pau e ferro, supostamente usados para torturar internos. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência ao Menor e à Família de São Paulo, Antonio Gilberto da Silva, as acusações são "infundadas."Ele ameaça: "Cada vez que o Ministério Público entrar lá, nós saímos". "Para conhecer a verdade, eles deveriam acompanhar o dia-a-dia da instituição", disse. "Se sabem que aquilo é um barril de pólvora, porque continuam mandando meninos?"As irregularidades em Franco da Rocha vêm sendo apontadas pelo MPE desde a sua fundação, em 2000. Ata de inspeção do Poder Judiciário, ocorrida em 30 de outubro, aponta irregularidades (veja quadro), mas o governo ainda não apresentou soluções.Entre os adolescentes, o clima é de tensão, segundo relatos de promotores da Infância e Juventude e de representantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB, que visitaram a unidade na última semana. Eles encontraram meninos feridos e ouviram relatos de espancamentos.Nos relatórios apresentados após as vistorias a conclusão é a mesma: na Febem, o Estatuto da Criança e do Adolescente está longe de ser respeitado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.