Funcionários da Febem entram em greve no Estado de SP

A partir das 7h desta sexta-feira, os funcionários de 70 das 77 unidades da Fundação Estadual para o Bem Estar do Menor (Febem) paralisarão suas atividades. A greve foi decidida em assembléia realizada na última quarta-feira. O sindicato têm uma lista extensa de exigências. Entre os mais de 50 itens, os principais dizem respeito ao aumento salarial, de 24 63%, à aplicação integral dos planos de cargos e salários e a questões de segurança no trabalho. "Durante a paralisação pretendemos manter apenas os serviços de limpeza, saúde e alimentação dentro das unidades; desde que o governo garanta a segurança de quem estiver dentro delas", afirmou há pouco Antonio Gilberto da Silva, presidente do Sindicado dos Funcionários da Febem. A intenção dos grevistas é de não entrar nas unidades a partir das 7h, horário em que deveria ocorrer a troca de turnos dos que trabalharam na madrugada. Em abril, uma paralisação desse tipo obrigou os diretores das unidades 21, 25 e 29 de Franco da Rocha irem ao pátio para vigiar os quartos. "Estamos trabalhando em número reduzido e sem condições de segurança, não dá para fazer paralisação parcial. Se só um agente ficar no pátio, corre risco de morte", acrescentou Gilberto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.